Ministérios

Os anciãos devem ser reconhecidos pela igreja como fortes líderes espirituais e devem ter boa reputação tanto na igreja quanto na comunidade. Na ausência do pastor, os anciãos são os líderes espirituais da igreja e por preceito e exemplo devem procurar conduzi-la a uma experiência cristã mais profunda e completa.

Os anciãos devem ser capazes de conduzir os cultos da igreja e administrar na palavra e na doutrina quando o pastor não estiver disponível. Contudo, os anciãos não devem ser escolhidos principalmente por causa de sua posição social ou de sua habilidade como oradores, mas por causa de sua vida consagrada e de suas habilidades para liderança.

Manual de Igreja, Pág. 74-75.

O Clube dos Aventureiros provê programas no lar e na igreja para pais de crianças entre seis e nove anos de idade. É projetado para estimular a curiosidade das crianças e inclui atividades específicas para essa faixa etária, as quais envolvem atividades recreativas tanto para os pais como para as crianças, habilidades manuais simples, apreciação 105 da criação de Deus e outras atividades que são do interesse dessa idade. Tudo é realizado com foco espiritual visando à transição para a participação na igreja como um desbravador. A igreja elege o diretor e os diretores associados do clube.

Membros adicionais para a liderança são indicados pela diretoria do clube. O diretor é membro da Comissão do Ministério Jovem Adventista. Recursos materiais estão disponíveis com o diretor do Ministério Jovem da Associação.

Todas as pessoas envolvidas na obra com crianças menores devem estar em harmonia com a igreja e com os padrões e exigências legais, tais como comprovação ou certidão de antecedentes. Os líderes da igreja local devem consultar a Associação, a qual determinará e orientará sobre quais certificados e comprovantes de antecedentes estão disponíveis e/ou são requeridos.

O Ministério de Comunicação demanda o apoio de cada membro leigo, cada obreiro da igreja e cada instituição denominacional.

O Departamento de Comunicação promove o uso de um consistente programa de relações públicas e de todas as modernas técnicas de comunicação, tecnologias sustentáveis e mídia na propagação do evangelho.

A igreja deve eleger um secretário de comunicação e, quando necessário, uma comissão de comunicação.

"Precisamos empregar todo meio razoável de levar a luz ao povo. Que a impressora seja usada, e que se utilizem todos os meios de publicidade para chamar a atenção quanto ao trabalho" (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 36).

"Serão elaborados meios para alcançar os corações. Alguns dos métodos usados nesta obra serão diferentes dos que foram usados no passado" (Evangelismo, p. 105).

O Ministério da Criança desenvolve a fé das crianças desde o nascimento até os catorze anos, guiando-as para a comunhão com a igreja.

Busca prover múltiplos ministérios que as conduzam a Jesus e as disciplinem em sua caminhada diária com Ele. Coopera com a Escola Sabatina e outros departamentos em prover educação religiosa para as crianças e cumprem sua missão mediante o desenvolvimento de uma variedade de ministérios com ênfase na graça divina, inclusivos, voltados para o serviço, formadores de líderes, de proteção e evangelísticos. “Nunca será demais acentuar a importância da educação ministrada à criança em seus primeiros anos. As lições que a criança aprende durante os primeiros sete anos de vida têm mais que ver com a formação do seu caráter que tudo que ela aprenda em anos posteriores” (Orientação da Criança, p. 193). “É ainda verdade que as crianças são as pessoas mais suscetíveis aos ensinos do evangelho; seu coração acha-se aberto às influências divina, e forte para reter as lições recebidas.

Os pequeninos podem ser cristãos, tendo uma experiência em harmonia com seus anos. Precisam ser educados nas coisas espirituais, e os pais devem proporcionar-lhes todas as vantagens, para que formem caráter segundo a semelhança do de Cristo” (O Desejado de Todas as Nações, p. 515). “As crianças de oito, dez, ou doze anos, já têm idade suficiente para ser dirigidas ao tema da religião individual. […] Caso sejam devidamente instruídas, crianças bem novas podem ter ideias corretas quanto a seu estado de pecadores, e ao caminho da salvação por meio de Cristo” (Testemunhos Para a Igreja, v. 1, p. 400). “

Quando Jesus disse aos discípulos que não impedissem as crianças de ir ter com Ele, falava a todos os Seus seguidores em todos os tempos aos oficiais da igreja, aos ministros, auxiliares e todos os cristãos. Jesus está atraindo as crianças, e ordena-nos: ‘Deixai vir a Mim os pequeninos’ (Lc 18:16), como se quisesse dizer: Eles virão, se os não impedirdes” (O Desejado de Todas as Nações, p. 517).

O Clube dos Desbravadores provê um programa centrado na igreja, voltado para o espírito de aventura e exploração característico dos juvenis. Inclui atividades cuidadosamente adaptadas em ambiente externo, exploração da natureza, habilidades manuais, lazer ou vocações dentro das possibilidades na Sociedade dos Juvenis Adventistas.

Dentro desse contexto, a ênfase espiritual é bem recebida. O Clube dos Desbravadores tem demonstrado sua influência na conquista de almas. Em muitas igrejas, os Clubes de Desbravadores substituem a tradicional Sociedade dos Juvenis Adventistas.

Se há uma escola na igreja, o Clube dos Desbravadores deve servir de apoio ao trabalho da Sociedade dos Juvenis Adventistas. O diretor e os diretores associados do Clube dos Desbravadores são eleitos pela igreja. (Ver p. 111, 179.) Quando são eleitos dois diretores associados, deve haver um de cada gênero.

Um deles pode também servir como secretário e tesoureiro. O diretor é membro da Comissão do Ministério Jovem Adventista. Líderes adicionais para o Clube dos Desbravadores podem incluir instrutores de atividades manuais e classes na natureza e os conselheiros responsáveis para cada unidade de seis a oito desbravadores. Recursos materiais estão disponíveis com o diretor do Ministério Jovem da Associação.

Todas as pessoas envolvidas na obra com crianças menores devem estar em harmonia com a igreja e com os padrões e exigências legais, tais como comprovação ou certidão de antecedentes.

Os líderes da igreja local devem consultar a Associação, a qual determinará e orientará sobre quais certificados e comprovantes de antecedentes estão disponíveis e/ou são requeridos. (Ver Notas nº 7, p. 175, 176.)

O cargo de diácono é descrito no Novo Testamento (1Tm 3:8-13), onde se emprega o termo grego diakonos, do qual deriva o vocábulo português “diácono”. A palavra grega é interpretada de várias maneiras como “servo, ministro, servidor e servente”, e nos círculos cristãos adquiriu o significado particular que agora se atribui a “diácono”. A Escritura confirma claramente esta função na igreja do Novo Testamento: “Porque os que servirem bem como diáconos adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.” (1Tm 3:13). Com base nessa autoridade, a igreja elege alguns dos seus membros para que prestem serviços eminentemente práticos, cuidando de diversos aspectos das reuniões, assim como da propriedade da igreja.

As diaconisas estavam incluídas no grupo daqueles que trabalhavam oficialmente nas primeiras igrejas cristãs. “Recomendo-vos Febe, nossa irmã, diaconisa da igreja de Cencreia, para que a recebais no Senhor de modo digno, como convém a santos, e a assistais em tudo o que ela de vós precisar, porque também ela ajudou a muitos, a mim inclusive.” (Rm 16:1-2, Bíblia de Jerusalém).

O chamado para o cargo de diácono abrangia mais do que cuidar dos negócios da comunidade cristã em rápido crescimento. Os diáconos estavam empenhados numa parte importante da obra do Senhor, que requeria qualificações quase tão exigentes como as do ancião. (Ver 1Tm 3:8-13.) “O facto de terem sido esses irmãos ordenados para a obra especial de olhar pelas necessidades dos pobres não os excluía do dever de ensinar a fé. Ao contrário, foram amplamente qualificados para instruir a outros na verdade; e se empenharam na obra com grande fervor e sucesso.” – Atos dos Apóstolos, pág. 90.

A Escola Sabatina, o principal programa educacional da igreja, tem quatro objetivos: estudo da Bíblia, confraternização, testemunho e ênfase na missão mundial.

O Departamento de Escola Sabatina e Ministério Pessoal da Associação Geral distribui a Lição da Escola Sabatina para todas as faixas etárias, provê planos para o programa da Escola Sabatina dentro do contexto das várias culturas das divisões mundiais, provê recursos e sistemas de capacitação para professores da

Escola Sabatina e promove as ofertas da Escola Sabatina para as missões mundiais. “A Escola Sabatina é um importante ramo do trabalho missionário, não só porque proporciona a jovens e adultos o conhecimento da Palavra de Deus, mas por despertar neles o amor por suas sagradas verdades e o desejo de estudá-las por si mesmos; ensina-os, sobretudo, a regular sua vida por seus santos ensinos” (Conselhos Sobre a Escola Sabatina p. 10, 11)."

A Escola Sabatina, devidamente dirigida, é um dos grandes instrumentos divinos para trazer pessoas ao conhecimento da verdade” (ibid., p. 115).

O objetivo do Ministério da Família é fortalecer o casamento e a família. A família foi constituída por criação divina, com o casamento no seu centro. 90 Como é o principal ambiente em que são aprendidos os valores e é desenvolvida a capacidade para uma comunhão íntima com Deus e com as outras pessoas, seu bem-estar é vital para a missão da igreja de fazer discípulos.

O Ministério da Família reforça os ensinos bíblicos relativos à família e erguem os ideais de Deus para a vida familiar. Ao mesmo tempo, propiciam uma compreensão da ruptura experimentada por indivíduos e famílias em um mundo caído. O departamento procura possibilitar a compreensão, a unidade e o amor no lar e na família de Deus. Promove a reconciliação entre as gerações prometida na mensagem de Elias, registrada em Malaquias 4:5, 6, e oferece esperança e apoio àqueles que têm sido feridos por abuso, disfunção familiar e relacionamentos rompidos. Provê oportunidades de crescimento nos relacionamentos mediante educação e enriquecimento da vida familiar. Indivíduos, casais e famílias são auxiliados a beneficiar-se de aconselhamento profissional, quando necessário.

O Ministério da Família na igreja local está focalizado na orientação pré-marital para casais, em programas de fortalecimento do matrimônio e na educação de pais. Ministrar às famílias inclui também dar atenção às necessidades especiais de pais e mães solteiros, famílias com padrastos e madrastas e o evangelismo de família a família. “Nossa obra para Cristo deve começar com a família, no lar. […] Não existe campo missionário mais importante do que esse. […] Muitos descuidaram vergonhosamente esse campo do lar, e é tempo de que sejam apresentados recursos e remédios divinos para corrigir esse mal” (O Lar Adventista, p. 35)."

Deus pretende que as famílias da Terra sejam um símbolo da família do Céu. Os lares cristãos, estabelecidos e mantidos conforme o plano de Deus, contam-se entre os Seus meios mais eficazes para a formação do caráter cristão e para o avanço de Sua obra” (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 430). “A missão do lar estende-se para além do círculo de seus membros. […] Muito mais poderosa que qualquer sermão pregado é a influência de um verdadeiro lar, no coração e na vida” (A Ciência do Bom Viver, p. 352).

O Ministério de Mordomia Cristã incentiva os membros da igreja a responder à graça de Deus dedicando a Ele tudo o que possuem. A responsabilidade da mordomia envolve mais do que simplesmente dinheiro. Inclui – mas não está limitada a isso – o devido cuidado e uso do corpo, mente, tempo, talentos, dons espirituais, relacionamentos, influência, linguagem, meio ambiente e bens materiais.

O departamento auxilia os membros em sua parceria com Deus na terminação de Sua missão por meio da utilização apropriada de todos os Seus dons e recursos. Quando o Espírito de Deus toma posse da vida, “aqueles cujo coração transborda do amor de Cristo, seguirão o exemplo dAquele que, por amor de nós, Se tornou pobre, para que por Sua pobreza enriquecêssemos.

Dinheiro, tempo, influência – todos os dons que receberam das mãos de Deus – só serão por eles apreciados quando usados como meio de fazer avançar a obra evangélica” (Atos dos Apóstolos, p. 71).

"A música pode ser uma grande força para o bem... A música deve ter beleza, emoção e poder. Ergam-se as vozes em hinos de louvor e devoção. Chamai em vosso auxílio, se possível, a música intrumental, e deixai ascender a Deus a gloriosa harmonia, em oferta aceitável." - Testemunhos Seletos, vol. I, pág. 457. Manual da Igreja, pág. 72.

Seleção de Diretores de Música – A igreja tomará grande cuidado na seleção dos líderes da música, escolhendo apenas aqueles que são inteiramente consagrados e que provejam música adequada para todos os cultos e reuniões da igreja. Música secular ou de natureza duvidosa nunca deve ser introduzida em nossos cultos.

Os diretores de música devem trabalhar lado a lado com o pastor ou com os anciãos a fim de que as músicas selecionadas estejam relacionadas com o tema do sermão. Ele estará sob a direção do pastor ou dos anciãos e não trabalhará de forma independente.

Deverá aconselhar-se com eles sobre a música que será apresentada e sobre os cantores e músicos.

O Ministério pessoal é responsável de Planejar, Coordenar, Incentivar os membros a proclamarem o evangelho, com o objetivo de fazer discípulos, através dos Pequenos Grupos, Duplas Missionárias, Classes Bíblicas e Escola Missionária. Unidos para o maior evento da história: A VOLTA DE JESUS.

Tem também a responsabilidade primária pelos programas de assistência aos necessitados. (Manual da IASD 2015, pág. 103)

O Departamento do Ministério de Publicações coordena e promove o evangelismo por meio da literatura sob a supervisão da Comissão do Ministério de Publicações e a organização de publicações correspondente para o seu território. Ele ajuda outros departamentos na promoção, venda e distribuição de assinaturas de revistas e outras literaturas missionárias. O departamento trabalha juntamente com o pastor e outros departamentos no planejamento e nos meios adequados para envolver os membros em ministérios de publicações.

“Há muitos lugares em que a voz do pastor não pode ser ouvida, lugares que só podem ser alcançados por nossas publicações – livros, revistas e folhetos repletos das verdades bíblicas de que o povo necessita” (O Colportor-Evangelista, p. 4).

A missão do Ministério de Publicações é o evangelismo e a nutrição dos membros da igreja. Ellen G. White encoraja os membros a “vender ou doar nossa literatura” (Manuscrito 126, 1902).

IASD MARCO